Volta às aulas

Decoração Sala de Aula

Visualizações

 

O Ataque do Furadentes

8 de out de 2011



Vários textos disponíveis para Teatro no site educacaoemfoco 


O ATAQUE DO FURADENTES 
Welington Almeida Pinto 

Furadentes é o nome da bacteriazinha que ataca a boca de crianças que não cuidam bem dos dentes. Hummmm!... E que vivem comendo doces, chupando balas, mascando chicletes, tomando refrigerantes. 
Há muito um batalhão de Furadentes mora na boca do menino Caco, fazendo a maior destruição nos seus dentes: todos amarelos, cheios de pontinhos escuros e apodrecidos de tanta cárie. 
Certo dia, acontece o pior: uma terrível dor de dente pega o garoto de surpresa. Dona Filhinha tenta acalmar o filho: 
- Amanhã, bem cedinho, vamos ao consultório do Dr. Juca. Só ele poderá dar jeito nessa dor de dente. 
Caco teve pesadelos, atormentado por um sono agitado, sonhava que as bacteriazinhas da cárie faziam a maior farra na sua boca, pulando de dente em dente, como palhaços num picadeiro, passavam de um trapézio para o outro. Tinham um chifre pontudo na testa e cutucavam sem parar os dentes mal cuidados. Caco suava frio, apavorado. 
De repente, aparece um guerreiro vestido de branco, atacando sem dó nem piedade as bacteriazinhas. Um alvoroço entre elas!... Pulam de lado, de frente, para cima, para baixo, se escondendo nos furinhos dos dentes detonados de Caco, tentando escapar como podiam da fúria do destemido combatente. Depois de expulsar as bactérias da sua boca, o guerreiro se apresenta: 
- Sou Pastolim, amigo das crianças de boca limpa. 
- Muito prazer, Caco. - Hã!...Hã!... Pelo que vi, tem comido bastante doce e não anda cuidando dos dentes. Caco fica calado sem saber o que dizer. Pastolim continua: 
- Não se assuste, só ataco os bichinhos da cárie. 
O menino, mais aliviado: 
- Uff!... Ainda bem! - Se quiser, posso ajudar a se livrar de uma vez por todas desse povinho mal intencionado. 
- Claro! Não agüento mais de tanta dor!
 - Você tem que me prometer uma coisa. 
Caco, mais do que depressa: 
- O que Você quiser. 
- Usar fio dental e escovar os dentes pelo menos três vezes ao dia! 
- Legal. Quê mais?
 - Escovar a língua também. 
- A língua!?... 
- Sim, não sabia? 
- Juro que não. 
- Tem mais: não abusar de doces, balas, chocolates, chicletes, refrigerantes... Essas delícias que cárie também adora. 
Caco, depois de pensar um pouquinho: 
- Fechado. Quando comer doce ou chupar bala, devo usar fio dental e escovar os dentes, não é? 
- Sim, claro. Pode até comer doces, mas tem que escovar os dentes depois. Combinado?
 - Oba! Boa dica para saborear um brigadeiro! - diverte Caco. 
- Muito bem. Fique com esta escova de dentes e este tubo de fio dental. São armas poderosas para combater os agentes causadores da cárie - garante Pastolim. 
- E pasta de dente?
 - É importante também. Mas não abuse da quantidade; use o mínimo: assim... assim... uma bolotinha do tamanho de uma ervilha. 
- Só isso? 
- Sim. Pasta contém flúor. Flúor é bom para a gengiva e os dentes; o excesso pode manchá-los. 
- Ah, é? 
- Com certeza. Quanto ao nosso trato... 
- Não esquecerei. 
Pastolim abre um sorriso alegre: 
- De hoje em diante, cuide dos dentes ao despertar e após as refeições. Antes de dormir, capriche mais ainda. A higiene bucal é importante para saúde dos dentes e das gengivas. Aliás, se tivesse escutado a mamãe!... 
Mal acaba de falar, Pastolim rodopia três vezes em torno de si mesmo e desaparece no ar, como num passe de mágica. Caco acorda excitado e remexe de um lado para o outro como se procurasse alguma coisa: 
Minha escova!... Cadê minha escova? 
Dona Filhinha, que dormia ao seu lado, também desperta com a inquietação do filho. 
- Que foi, Caco? 
- Minha escova!... Cadê minha escova de dentes? Cadê meu tubinho de fio dental? 
- Que escova? Que tubinho? – pergunta a mãe, sem entender nada. 
- Que o Pastolim me deu de presente, mãe! Dona Filhinha acha graça, passa a mão na cabeça do filho, imaginando que ele tivesse tido um pesadelo.
Muito esperta, responde: 
- Que bom! Prometi ao Pastolim que vou cuidar dos dentes todos os dias. 
Caco, ainda pela manhã, no consultório do Dentista trata dos dentes. Antes de sair, o doutor Juca brinca: 
- Menino que não cuida bem dos dentes, perde a guerra para Furadentes. Fica feio, banguela e com bafo-de-onça, capaz de assustar até mesmo Gambá.
Depois, ele tira do bolso uma caixa de goma de mascar e oferece a Caco: 
- É para Você. Desconfiado, o menino se surpreende: 
- Chicletes!... Para mim? 
- Esse é especial. Não tem açúcar. 
- Massa!... Obrigado, Doutor. A partir desse dia, Caco reconhece que bactéria de cárie é mesmo perigosa. Bicho ruim, que faz estrago na boca de criança desleixada, dessa que come doce o dia todo e não escova os dentes depois. 

CONQUISTANDO A LINGUAGEM 
Compreensão do Texto Atividades: Dor de dente é coisa séria, não é? Crie, com colagens ou desenhos, um painel com várias gravuras representando pessoas sofrendo dor de dente. Responda em folha anexa: 
1) Quantos dentes temos?
2) A que horas devemos escovar os dentes? 
3) Quais os cuidados que criança deve tomar para evitar cárie?
4) Você vai sempre ao Dentista? 
5) Faça uma lista dos alimentos que você come na hora da merenda e na sua casa. 
6) Reconte, com as suas palavras, o trecho em que as bactérias atacavam a boca de Caco. 7) Pegue folha de papel, lápis e desenhe o Pastolim atacando a bacteriazinha da Cárie. 
8) Vamos desenhar e colorir mais gravuras. Para a Professora: A criança, ao ouvir ou ler uma boa narrativa, também aprende apreciá-la. 

Motivação: peça às crianças não alfabetizadas para relatar a história. Dessa forma, o aluno trabalha a atenção, memória e comunicação oral. Os mais velhos podem escrever uma sinopse da história ou reescrever o texto, inventando situações e personagens novos. 
Nas aulas sobre o sistema digestivo, fale sobre higiene bucal, explicando que a técnica de escovação dos dentes é tão importante como uso do fio dental: alcança espaços onde a escova não entra; e que o ideal é colocar a pasta no sentido transversal da escova, em vez de longitudinal, ou do tamanho de um grão de ervilha ou milho. Convide estudantes de uma Escola de Odontologia para uma entrevista com os alunos, respondendo sobre a importância da Higiene Bucal. 

0 comentários:

Postar um comentário