Volta às aulas

Decoração Sala de Aula

Visualizações

 

Ai, que vontade de morder!

19 de jun de 2011

C.M.E.I “ANTÔNIO TORTATO”
Ai, que vontade de morder!
Antes de falar, muitas crianças usam os dentes para se comunicar.
Saiba aqui como lidar com as mordidas


           A equipe de uma escola, em São Paulo, enfrentou uma situação delicada em 2006. Uma avó, ao buscar o neto, saiu dizendo para a filha que a creche estava cheia de pitbulls, pois a criança de 2 anos tinha marcas dos dentes de um colega no rosto. Outra mãe ouviu o comentário e foi reclamar com a direção da escola. “Ela sabia que é comum morder nessa fase da infância e não concordava com o rótulo dado para a turma de seu filho”, lembra a coordenadora pedagógica. Nova Escola Agosto 2007.
Muito comum que nas escolas de educação infantil, nas turmas de crianças com aproximadamente dois anos de idade; aconteçam as mordidas. Nessa idade a criança encontra-se na fase oral, do desenvolvimento da personalidade.
A criança tem o seu primeiro contato com o mundo através da boca, pelo seio materno, que lhe proporciona o prazer de saciar sua fome. Em razão dessa relação de prazer, à medida que cresce leva outras coisas à boca, como as mãos e os pés. Aos poucos vai tentando saborear outros objetos e até mesmo as pessoas, na tentativa de conhecer e descobrir melhor o mundo.

“Morde não mãe, que dói”
Na escola, ao morder um amigo, descobre novas sensações de prazer, como em ver o susto, a reação, o choro do outro. A partir dessa sensação agradável, volta a fazer repetidamente.
Um grande problema que temos presenciado comumente entre as famílias, são os pais brincando com os filhos usando a boca, dando pequenas mordidas nos mesmos. Essas atitudes podem confundir as crianças, que reportam para outras crianças as mesmas brincadeiras, porém podendo machucá-las.
A mordida na escola é uma situação constrangedora para todos os envolvidos. Os pais da criança mordedora sentem-se muito mal, ficam envergonhados, os pais da criança agredida ficam chateados com o machucado do filho e sentem-se culpados por deixarem a criança na escola. Já a escola, por sua vez, tem a difícil tarefa de mediar às relações entre as crianças e seus familiares, a fim de amenizar os sentimentos negativos da situação. Equipe Brasil Escola
         Para evitar que a história dos pit-bulls se espalhasse e gerasse um mal-estar entre os pais, a Coordenadora do CEI Sto Antônio chamou todas as famílias p/ uma conversa. Na reunião os pais aprenderam sobre significado da dentada e se deram conta de que a situação é muito comum, tanto em casa como na escola, e não se trata de negligência por parte dos adultos. Nova Escola agosto 20007
Texto fornecido aos Pais na Reunião de início de ano para turmas de Berçário e Maternal I.

0 comentários:

Postar um comentário